19/04/2016

Desabafos sobre a Atualidade

O post de hoje não tem ilustrações, dicas e nenhuma outra coisa boa… na verdade, iria ter um mostrando meu home office, onde trabalho. Só que com tudo o que anda acontecendo, fico sem energia e sem nenhuma disposição ou vontade de fazer qualquer coisa. Me pergunto: é só comigo?

Vim trazer pensamentos meus para o blog hoje, pois ele é meu e eu posso. Sintam-se livres para ler/refletir/concordar/discordar.
.

O mundo tá estranho, né? Sei lá… eu sinto como se estivesse pairando sobre nós um nevoeiro grosso e cheio de pó. Onde não conseguimos mais ver luz ou o que está em nossa frente.

Não queria desabafar aqui no blog e nem pra ninguém, mas está difícil ultimamente.
Domingo faleceu um conhecido meu, amigo de meus amigos. Foi o suficiente pra parar e pensar nas coisas. Uma vida, planos, pensamentos acabaram pra sempre em questão de segundos. Isso nos faz parar pra pensar… vemos tantas brigas, cuspidas, cutucadas, um querendo passar em cima do outro todos os dias, cadê o valor disso tudo? O valor da vida? Está se resumindo a isso? Por que alimentar um ódio todos os dias se um dia isso não valerá nada? Uma ilusão.
Ontem postei na página do facebook uma imagem sobre o dia das mães, mas não estava vendo sentindo em postar… o face inteiro, a internet, as redes sociais inteiras estão se odiando, brigando, se rotulando e o único assunto é: política.
Por que estamos nos desgastando tanto? Por que estamos brigando com nossos amigos, familiares? Ganha quem falar mais alto? Ganha quem brigar mais? Só vejo pessoas se pisando, gritando, dando indiretas… um rotulando o outro da forma que acha melhor, como se um fosse melhor que o outro. Quem somos nós pra rotular uma pessoa? Quem somos nós? Vejo cada vez mais que o ser humano precisa mostrar que é melhor do que o outro, mostrar que é algo, mostrar que a visão desta está certa e não a dos outros, se mostrar importante.
Caminho na rua e vejo pessoas engolindo raiva e se alimentando da mesma. Não conseguimos mais nem dormir, né? Todos os dias estamos com raiva de uma “discussão” que aconteceu, de alguma opinião diferente, de pessoas falando da boca pra fora.
.
“Ah eu gosto de treta ~ ah a gente PRECISA discutir isso, tu queira ou não ~” Pode não parecer, mas isso nos consome, sabe? E muito. Uma, duas palavras de ódio, de brigas, de “discussões” à força podem destruir uma pessoa. Isso nos desgasta demais, cada dia vejo o ser humano mais e mais cansado e/ou irritado.
Fazemos piadinhas pra quem tem visão/opinião diferente das nossas, usamos o sarcasmo como escudo pra conversar. Não existe mais conversa, existem gritos e sarcasmos. Por que isso? O que está acontecendo? As pessoas estão se dividindo? Ou tu é daqui ou tu é de lá? Estamos dividindo famílias que se amam por discussões diárias e forçadas de política. O respeito não existe mais. O olhar para o outro, se colocar no lugar da outra pessoa, não existe mais.
Queremos enfiar goela a baixo o que acreditamos para os outros, queiram eles ou não, tenham perguntado ou não. A própria reflexão acabou, o ego tomou conta.
.
Em tempos assim o que mais faço é me fechar num casulo e lembrar do pensamento do grande Raul Seixas: Eu prefiro ser essa metamorfose ambulante, do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo.
Por que, afinal, quem sabe de tudo? Quem tem opinião formada sobre tudo? Por que querer desesperadamente jogar opiniões alheias no lixo e dizer que a sua é a verdade absoluta? Vamos olhar mais pra dentro de nós mesmos e pensar um pouco, talvez adotar um pouco daquela coisa antiga (como chamavam mesmo?), o silêncio.

Camila Averbeck - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2017